sábado, 29 de dezembro de 2007

No Jornal de Santa Catarina


Em uma outra matéria Guilherme Nossol me entrevistou na pousada das Araucarias com minha querida amiga e proprietária do local Denise Turek...
Obrigada,queridos...feliz 2008.

Mató...uma artista de mão cheia..de tintas e sonhos


A pergunta é simples:
Querida, me fale um pouco de voce e de sua carreira.
A resposta é complexa...
Mató me conta que desde pequena respirava musica, vem de uma família com grandes cantores líricos.Desde pequena se envolveu com a arte.A artista frequentou o Liceo Artístico de San Marco na Itália para onde sua família se mudou.Também passou pela Academia de Belas Artes de Milão aonde adquiriu uma bagagem essencial que a fez ver a arte de ângulos diferentes.Por razões pessoais teve que interromper o curso tão almejado.Tem como referencia o pintor siciliano Salvatore Fiume,Andréa Raccagni com quem adquiriu conhecimento e experiências. Sua arte é abstrata e ela afirma que sempre foi fascinada pela figura humana e que acredita que isso seja inato nas pessoas.Conta que com o tempo aprendeu que se pode dizer muitas coisas de maneira enigmática mas de uma forma que se torne universal , ou seja, que o entendimento fique ao alcance de todos.Quando a artista está em processo de criação afirma que solta sua mente sem barreiras e sem preconceitos do mesmo jeito que procura viver sua vida,sem limites.
Em 25 anos do seu trabalho, teve a possibilidade de conhecer grandes mestres e artistas vários, que acrescentaram um pouco a mais em sua bagagem artística.
Expôs em vários paises da Europa, Holanda, Espanha, Alemanha, muitas mostras pessoais na Itália e em ultimo Egito. Aqui no Brasil quase sempre no Matogrosso, muitas obras tiveram sempre uma catalogação, em fim mais de 40 mostras pelo mundo a fora.
Recebeu criticas de vários personagens do mundo da arte, entre críticos da Bienal de Veneza,críticos nacionais e vários jornalistas dedicados a essa área.
Recebeu recentemente um premio em Bormio em um concurso internacional.
Sua obra é tão extensa que teria dificuldade em relatar a quantidade de mostra pessoais e coletivas de Mato.
Segundo o Prof. Francesco Chiari (Storico d´Arte) “Mató vive submersa no seu mundo esotérico impregnado de muitas emoções, esta pintora italiana pinta,sem dúvida por vocação, por necessidade de espírito, suas cores têm os tons vivos de sua transparência interior. Mató elabora com paixão suas composições artísticas,em um universo poético de figuras emblemáticas de civilizações desaparecidas que ela faz reviver com um resultado pictórico sempre imponente com tons quentes e fortes volumetrias ligadas a um natural sentido pictórico.
Uma artista completa, um substantivo e um adjetivo que podem aparecer usuais, mas,
ao contrário, são raríssimos.
Um trabalho que na sua totalidade se evidencia não tanto nas fases das experiências da artista, quanto na sua qualidade autêntica, usada sem sofismas.”
Eu pessoalmente sou fã de seu trabalho e creio que sua historia na arte já esta escrita, ou melhor,desenhada pelas mãos desta maravilhosa artista:Mato.
Caso deseje contacta-la entre no site
www.artmato.com.br

Mató,receba os aplausos desta atriz que tem uma grande admiração por voce como pessoa e como artista.Sucesso.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Feliz natal e um otimo 2008...


Galera,chegamos no final de 2007...
Tantas coisas aconteceram em nossas vidas...ninguém teve um ano estático...
Lições devem ter sido aprendidas... ou não...
Amores novos devem ter chegado e outros partidos.Outros apenas se fortaleceram.
Novos amigos,novos conceitos,novos trabalhos e novos rumos.
Que em 2008 todos nós possamos ter consciencia limpa,coração aberto e caminhos traçados.
Que nossos passos nos levem sempre na direção do bem.
A todos que conheci, a todos que irei conhecer fica aqui meu carinho,minha consideração e meu respeito.
Um grande natal,um lindo 2008 a todos voces.


Claudia Cozzella

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Radio taxi....Willie de Oliveira


Ontem fui convidada para assistir um show...vamos ver se voces conhecem as musicas :
Eva...não..não foi a banda Eva que lançou...
Outra?
Garota dourada...
Errou de novo...não foi o Felipe Dylon que lançou...
Ultima chance..vou te dar uma frase da letra:
"Põe devagar...põe devagarinho que é pra não machucar...que? não,não é funk e nem musica do É o tchan
essas músicas eram do Radio Taxi...extinta banda dos anos 80.
O show foi de Willie de Oliveira que era o vocalista.
No teatro haviam pessoas de várias idades...o bis foi gritado no final fazendo com que ele retornasse e cantasse uma linda música da maravilhosa Ana Carolina.
Me peguei pensando...os sucessos hoje são tão imediatos..tudo é tão rápido e fulgás..como tudo na vida corre cheio de pressa para se chegar a....lugar nenhum...mas vamos votlar a falar do Radio taxi.
A banda de pop rock surgiu em 1981..foi a primeira no genero...eles já acompanhavam a super Rita Lee que na verdade foi quem começou todo esse movimento musical.
A musica Garota Dourada (de Nelson Motta) foi o tema do filme "Menino do Rio",lembram? aquele que provoca arrepio.....bom, a músicia estourou nas rádios e foi o primeiro sucesso da banda.
O primeiro disco da banda Radio taxi foi lançado em 1982 e tinha aquela música que acompanhou minha adolescencia: Coisas de casal(Rita Lee).
O publico cantou junto e delirou ao ouvir música de qualidade..um show simples porém rico em voz, competencia e muita simpatia por parte do Willie.
Fica aqui minha recomendação: Se ouvir falar deste cara,grande cara, vá assistir e leve seus filhos e sobrinhos...mostre a eles o que é musica com letra e sem ter que rebolar até o chão...pode ouvir sentado ou dançando mas a própria qualidade da música irá impor uma postura diferente da que se ve em algumas bandas de hoje.
Não sou contra funk,pagode,axe..até gosto ...mas é que é tudo volátil...hoje voce ouve,dança e amanhã por alguma razão esquece porque vem outro sucesso imediato para voce aprender..e tem as coreografias...não dá tempo de se prender a um só grupo...
mas esses dos idos anos 80 por alguma outra razão...ficaram para nós que acompanhamos e para aqueles que nos geramos após este periodo...

Claudia Cozzella 20/12/2007

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Diego Berro...um artista das palavras...no livro dos Recordes..


Diego,me fale um pouco da tua trajetória... Em primeiro lugar quero dar os Parabéns a você Claudia Cozzella pela indicação de melhor atriz no festival de Curitiba. Voce merece!!!

Aos 17 anos pedi para ser emancipado e sai de casa(Bauru-SP) para trabalhar com vendas porta-a-porta. Simultaneamente entrei para a universidade e me mudei para São Paulo, onde trabalhei com líder de equipe de vendas e comecei a realizar palestras sobre qualidade de vida em empresa de São Paulo e do Paraná, devido a um projeto universitário. As primeiras palestras ocorreram quando eu tinha ainda 18 anos. Costumo dizer que minha carreira começou totalmente contraria a de outros palestrantes, pois ocorreu de forma natural, precoce e totalmente despretensiosa. Após as primeiras palestras comecei a ser chamado cada dia com mais freqüência para dar palestras em empresas, passei então(ainda com 18 anos) a viajar com freqüência para atender empresas de diversos estados. O trabalho foi tomando muita dimensão e nos últimos 7 anos realizei quase 700 palestras. Somente esse ano devo fechar próximo de 100 palestras.

A quem se dirige suas palestras?

Minhas palestras são direcionadas a todas as pessoas que desejam ser melhores e desejam mudanças, seja em sua vida pessoal ou profissional. Trabalho temas que envolve qualidade de vida, Programação Neurolinguistica, liderança, marketing, relacionamento, vendas,etc... Voce já está no livro dos recordes? como é isso?

Em 2005 foi homologado em Curitiba pelo RankBrasil – O Livro dos Recordes no Brasil, meu titulo de Palestrante Profissional mais Jovem do Brasil, pelo fato de ter iniciado minha carreira com 18 anos. Em 2006, realizei uma serie de palestras na cidade de Ponta Grossa no Paraná, sendo que dez delas ocorreram no mesmo dia, tendo sido então certificado em 2006 o titulo de Maior Numero de Palestras Ministradas em 24 horas. Este titulo foi reconhecido em 2007 pelo Guinness Brasil. O Guinness Brasil já esta catalogando minhas palestras para certificar o maior numero de palestras ministradas no Brasil por um palestrante jovem(ainda com 25 anos). Devo homologar em 2 ou 3 anos também o numero de mil palestras realizadas. Em janeiro de 2008, fui desafiado por um grande amigo para tentar quebrar meu recorde de mais palestras feitas em um dia. Sergio Almeida, autor do Livro: Sucesso e Viver na Contramão do mundo e palestrante e colunista de diversos jornais e tentara a quebra do recorde no final de Janeiro na cidade de Cachoeira do Sul(RS) com a presença do Guiness Brasil e minha. Enquanto isso permaneço com o recorde, que estará homologado como recordação de minha careira por toda a vida. Voce viaja por todo Brasil..

como é a recepção das pessoas?

Na ultima semana ministrei 4 palestras em dois estados. Em Arroio dos Ratos(RS), Porto Alegre(RS), Santa Maria(RS) e Florianopolis(SC). Esta ultima para 800 pessoas num congresso de uma empresa americana, Forever Living. No total na ultima semana falei para aproximadamente 1100 pessoas. A recepção das pessoas sempre e a melhor possível. Todos temos carências, necessidades e desejos de mudança. Falo para as pessoas nao so de técnicas, mas de como ser alguém melhor na vida, pessoal, familiar, social. Das palestras da ultima semana eu recebi próximo de 60 e-mails com feedbacks positivos das palestras. E justamente essa chama, recebida pelo retorno positivo dos participantes que me emociona e me faz querer continuar, crescer e viver não somente para mim, mas para servir as pessoas. Participar do processo de mudanca pessoal de centenas de pessoas e algo fantástico. Quero viver para poder ser usado para modificar para melhor a vida das pessoas. Voce tem grandes clientes como Ambev, Votorantim, Perdigão, BS Colway Pneus, Cargill, Construtora Norberto Odebrecht, Forever Living, Ceevem, Mc Lane do Brasil, etc.. e universidades como a FAE Business School, UFSM, FACINTER, etc...

como você ajuda as grandes empresas?Quais os beneficios que os funcionários tem ao ouvir suas palestras?

Tenho participado com freqüência de SIPAT’’s(Semana Interna d Prevenção de acidentes no Trabalho), congressos, semanas acadêmicas de universidades e eventos aberto ao publico em geral. Cada treinamento tem um objetivo, mas em geral as empresas nos contratam para motivar e verdadeiramente treinar seus colaboradores. A semana passada por exemplo, treinei a equipe de vendas da D Pascoal em Porto Alegre com técnicas de PNL e fiz um treinamento de liderança e relacionamento para 800 promotores da Forever Living Brasil. Enfim, nossa missão e colaborar para a excelência na vida pessoa e profissional. Uma empresa que nos contrata para trabalhar qualidade de vida quer que seus funcionrios mudem seus hábitos para conseqüentemente produzirem mais, diminuírem despesas com plano de saudades e faltarem menos, etc... Um estudo realizado pelo Institute for Health and Productivity Studies, dos Estados Unidos, mostrou que as empresas brasileiras chegam a perder 42 bilhões de reais/ano, o equivalente a 3% do Produto Interno Bruto, devido à presença de funcionários doentes apresentando falta de rendimento nas suas atividades. Segundo o Dr. W.L.Weiss, da Universidade de Seattle, nos EUA, empregados que fumam em intervalos não autorizados somam aproximadamente 35 minutos de tempo perdido por dia de trabalho. O custo para o empregador, em termos de produtividade, equivale a 18,2 dias por fumante. Estatísticas demonstram que empregados fumantes de 2 a 3 maços por dia se ausentam do trabalho, em média 150% mais, pois os fumantes estão mais suscetíveis a doenças, com um custo para o empregador de aproximadamente 25 dias de produtividade anual para cada empregado fumante. Muitas empresas tem nos contratado para treinar sua equipe de vendas através das mais poderosas e mágicas técnicas da Programação Neurolingustica. Como o investimento desse treinamento pode ser atrelado aos resultados de aumento de vendas(que são certos) tenho lotado minha agenda com esse tipo de evento. Nos EUA as grandes empresas já exigem de seus gerente que tenham ao menos curso básico de PNL. Essa esta sendo a tendência aqui no Brasil também.

Eu sei que voce utiliza de bom humor,interatividade...como é isso?

Nos sabemos que 93% do impato na comunicação ocorre a um nível não-verbal. Como sobra somente 7% para as palavras, a comunicação deve ser feita de uma maneira que atinga o coração de cada participante, mas como cada um tem seu proprio modelo de mundo e preciso saber que existem pessoas que processam as informações com canais de comunicação preferêncialmente diferentes umas das outras, por isso um palestrante precisa utilizar essas técnicas afim de atingir o mesmo resultado de excelência com todos os participantes, oque e difícil para quem noa domina as ferramentas por exemplo da Neurolinguistica. Por isso buscamos trabalhar com vivencias, dinâmicas, e interatividade. Eu naveguei pelo seu site e fiquei impressionada com a quantidade de palstras que voce já deu..mais de 600? Nos últimos 7 anos dediquei todo meu tempo aos estudos e as palestras. Este ano estou próximo de fechar 100 palestras. Realmente fico feliz quando paro e penso em tantas pessoas que eu já possa ter ajudado. Oro todos os dias para Deus continuar me usando para propagar as pessoas que a verdadeira felicidade só pode ser encontrada em Sua presença. Qual o tempo de cada uma?

Todas as palestras são customizadas a realidade de cada empresa, mas em geral as palestras in-company tem duração media de 60 a 90 minutos e os treinamento podem variar de 3 horas para cima.

Por fim,fale um pouco do Diego Berro pessoa...você utiliza o que prega em sua própria carreira e vida pessoal?

O que mais tenho buscado em minha vida nos últimos tempos e ser cada dia mais congruente. Tenho, sem duvida, colocado em pratica em minha vida muitas coisas que acredito e compartilho nas palestras. Acima de tudo tenho buscado ser uma pessoa melhor na vida pessoal, familiar e social. Tenho buscado etender mais as pessoas e me relacionar melhor com elas. Tenho buscado servir as pessoas e ser alguém que faca a diferença na vida delas. Não sou exatamente quem pretendo ser, mas estou na caminhada, convicto de que o que mais vale nessa vida, e ser sincero, honesto, ter uma Fe inabalável, servir e ajudar as pessoas e fazer diferença na vida de todos que entramos em contato. Como disse Gandhi: Cada ser que se eleva, eleva o mundo. Para te contratarem devem entrar em contato com quem? Solicitações de orçamento pode ser enviada pelo link “contrate” em meu site: WWW.diegoberro.com.br ou pelos e-mails: contato@diegoberro.com.br e Diego_berro@hotmail.com Obrigada,Diego...é um orgulho ser parte do seu circulo de amigos...é uma honra ver até onde podemos chegar com caratér,dinamismo e seriedade. Sucesso pra voce...sempre.

Claudia Cozzella

Resultados...


Olá,queridos amigos.
Ontem tivemos o resultado do Festival de esquetes e como prometido estou aqui para contar.
Fiquei com a indicação de melhor atriz e nossa esquete tambem foi indicada como a melhor por juri popular.
Por que essa matéria se chama Resultados?
Porque queria comentar com voces que tudo na vida vem das nossas escolhas.
Só colhemos aqui que plantamos...
Não adianta nada plantar melancia e querer colher abacate...Na arte também funciona assim...
A gente planta responsabilidade, caráter, etica, profissionalismo e colhe...o que? reconhecimento, fãs,amigos, aplausos e novos trabalhos e assim vamos indo.
Tenho tido a grande sorte de cruzar em minha estrada com grandes personalidades como Marcos Wainberg,Fábio Moraes,Diego Gianni,Carlos Corde, Eliciane Alves, Paulo Goulart,Nicete Bruno, Cherri Filho e tantos outros...
Por isso,gente, em 2008 vamos nos superar...que a gente construa cada degrauzinho da nossa escada sem pisar em ninguém.
É isso que eu desejo a todos que vivem,respiram e amam as artes.

Lembrando que ser feliz é ,muitas vezes, uma questão de escolha.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007


Ontem abrimos o II Festival de esquetes de Curitiba..aquele que eu já havia contado para voces. Foi no Teatro Celeiro que hoje leva o nome de Teatro Reikrauss Benemont. Nossa esquete de Diego Gianni chamada \"Vá para o Inferno\" foi bem recebida pelo público e bastante elogiada. Como ficamos em primeiro lugar ano passado acho que o publico espera bastante e portanto a cobrança é um pouco maior o que eu acho ótimo...quanto mais se exige mais nos esforçamos. Nestas iniciativas o bom é que conhecemos outros grupos,atores e diretores de outros estados. Claro que há textos de gosto duvidoso mas no geral os roteiros são bem bacana. Fica aqui meu registro de apoio a esse pessoal que se dedica a as artes... Domingo saberemos o resultado pois o Festival continuará até sábado. Parabéns a todos que fazem da arte UMA ARTE. Na foto Claudia Cozzella como Lucélia(advogada do diabo), Florival Gomes e Rossano Eckermann(como Lalau pai e filho) e San Thomazzeli (como Ninguém)...

Fonte: Claudia Cozzella

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Tok de Arte


Eu disse que ia parar de escrever aqui por causa do http://www.cafeerevista.com.br/ porém voces me pediram tanto que eu decidi continuar...só o seguinte...vou colocar materias diferentes para voces não enjoarem...ou seja,aqui coloco coisas da minha carreira, da minha Cia e dos meus amigos..e lá na Cultura Cenica do site coloco noticias de todo Brasil... o que acham?

Essa materia daqui eu coloquei lá também,mas como é da minha amada galerinha aqui vai o repeteco:


Amanhã, as 20 horas, a CIA Tok de Arte estará abrindo o festival de esquetes que acontece em Curitiba. Com texto de Diego Gianni estaremos apresentando "Vá para o inferno"...uma comédia curta e divertida juntamente com mais 10 participantes de todo o Brasil que foram selecionados. Ano passado a CIA Tok de Arte ganhou o primeiro lugar com "Um,dois,tres e jaz" também de Diego Gianni.A esquete foi apresentada posteriormente no Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná...em Curitiba rodou várias casas noturnas. Esperamos voces , amanhã,dia 13 de dezembro de 2007 no Teatro Celeiro, que fica na Praça Tiradentes (Galeria Pinheiro Lima, ao lado da Catedral). Elenco: Claudia Cozzella( eu mesma),Florival Gomes, Rossano Eckermann, Eliceia Dalprá, Cíntia Calé e San Thomazelli. Ingressos a preço popular: R$ 10,00 (para assistir a 10 esquetes). Fiquem na torcida e ate breve.
Claudia Cozzella

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Dá licença que to passando...


Olá.meus queridos amigos,apoiadores,patrocinadores e fãs.
Estou comunicando a todos que estou fazendo parte de um site bem bacana chamado Cafe & revista...
Tem como clunistas nada mais nada menos que Arnaldo jabor, Chérri Filho, Zé Rodrix...
Gente de peso e que tem uma carreira construida com base na responsabilidade, carater, ética e transparencia.
me sinto honrada em fazer parte do time.
Portanto a partir de hoje não estarei postando mais aqui no blog no momento e apenas no site porque ficou bem pequeno meu tempo e não quero repetir as matérias até porque o CAfé & revista merece exclusividade.
Acessem e divulguem:
http://www.cafeerevista.com.br/
E se quizerem divulgar algum trabalho bacana entrem em contato pelo email tokdearte_artescenicas@yahoo.com.br
Aviso tambem que nao tenho nenhuma parceria com nenhum outro blog ou site!

Sucesso a todos.

Bj no coração

Claudia Cozzella

sábado, 8 de dezembro de 2007

Um país de ...tolos?!


Essa matéria foi concedida pelo dramaturgo Diego Gianni...eu era uma das atrizes em cena....resolvi postar para mostrar como está o teatro hoje em dia na mente dos jovens(não generalizando,claro)
Hoje tive uma experiência traumatizante, do tipo que faz qualquer pessoa deitar-se num divã próximo a um busto de Freud e discursar suas lamúrias.Fui a uma peça de teatro.Explico. Duas da tarde. Trinta e cinco graus a sombra. Local da apresentação: uma escola. Uma platéia formada por adolescentes do ensino médio e fundamental. Estavam ali por livre e espontânea pressão. Preferiam mil vezes estar em algum shopping, cinema, ou de preferência, em casa dormindo. Ouvi até mesmo um deles comentar, carinhosamente, que preferia se jogar de um viaduto de cabeça do que perder uma hora de sua aparentemente agitada vida assistindo a uma peça de teatro.Bom, não tinha nenhum viaduto por perto, de forma que ele e os outros cento e quarenta e nove adolescentes tiveram de assistir, resignados, ao espetáculo. As portas se abriram. Eu já estava lá dentro, sentado numa cadeira mais ao canto. Queria observar bem a entrada deles. Você consegue saber exatamente como vai se comportar a platéia durante a peça só pela maneira deles entrarem e se acomodarem nas cadeiras. Entraram rindo, gritando, chutando, cuspindo e outras coisas que nem o mais grosseiro dos neanderthals faria. Passei a mão pela testa suada já sabendo o que vinha pela frente.E deu no que deu. Uma pequena parte dos alunos só estava ali para desrespeitar o trabalho da companhia teatral. Eles já entraram ali com este pensamento, e nada iria tirar esta sádica diversão deles, mesmo que a peça em si fosse uma mistura do auge do genialismo de Shakespeare com o profundo questionamento existencial de Sartre. O texto era meu, e na metade da apresentação, vi-me forçado a deixar a sala. Estava nervoso. É duro ver o trabalho de tantos envolvidos sendo desrespeitado de tal maneira. São meses de ensaios para um final nem sempre recompensador. Ainda lá fora, pensando sobre essas coisas, vi um aluno de ouvido colado a porta, tentando sem sucesso ouvir as falas dos atores. Perguntei a ele porque não quis assistir à peça, e ele argumentou que o preço era extremamente caro. “Custa apenas cinco reais”, disse eu. “Muito caro”, bateu ele na mesma tecla. Contei a ele, até mesmo para o encorajar a assistir uma próxima montagem no colégio, que em algumas peças o ingresso chega a custar mais de cem reais. Ele me olhou pensativo e concluiu: “bem, mas daí é teatro profissional”.Contando mentalmente até mil, tentando me lembrar que até mesmo neste país, onde réus primários tem carta de alforria, jogar um pré-adolescente num muro de concreto a mais de seis quilômetros por hora pode não ser visto com bons olhos. Colei eu o ouvido a porta. Voltaria lá dentro? Abri a porta discretamente para espiar se os ânimos lá dentro já haviam acalmado. Sonho meu. No exato momento em que coloquei o nariz para dentro da sala, ouvi uma das adolescentes dizer que a única coisa que poderia salvar a peça era uma das atrizes cair de cara no chão. Pensei em dizer alguma coisa, mas a perspectiva de uma nova guerra de bolinhas de papel entre eles me fez pensar duas vezes. Antes de sair da sala definitivamente, dei mais uma olhada para o diretor da peça. Parecia que ia ter um derrame a qualquer momento. Estava rouco de tanto mandar os alunos se calarem. Senti pena dele. A peça acabou e só restou a todos torcer para que a próxima platéia fosse mais convidativa.E ficou a pergunta: de quem era a culpa? Dos alunos? Dos professores? Da companhia? O que faz com que o teatro hoje seja tão desrespeitado? Este foi apenas um exemplo entre milhares. Conheço uma centena de atores, e a maioria deles não tem condições sequer de ter um carro. Eles, que se apresentam para médicos, advogados, banqueiros, governadores, prefeitos e até o papa. Não importa a classe social, dificilmente a pessoa que está na platéia (a não ser que também seja do meio artístico) tem noção do quanto é difícil dar vida a uma peça de teatro. Envolve sonhos. Envolve sacrifícios. O sacrifício da própria vida, por assim dizer. Grande parte dos que fazem teatro, o fazem por pura paixão. Pessoas assim mereciam uma aposentadoria confortável, e não terminar seus dias tomando um prato de sopa de pedra no retiro dos artistas, muito menos serem reconhecidos apenas quando já não estiverem entre nós. “O teatro é muito caro”. Será mesmo? As pessoas deixam de prestigiar o teatro por uma questão de dinheiro? Bobagem. É uma questão de cultura, simples assim. Os mesmos que alegam não ter dinheiro para ir ao teatro, vão a estádios de futebol, danceterias, boate, barzinhos com consumação mínima de 15 reais, shows, tudo muito mais caro do que o teatro. É verdade sim que existem peças onde o ingresso passa de cem reais, ficando assim muito distante a possibilidade do seu José e da dona Maria assistirem ao espetáculo. Mas há inúmeras outras peças onde muitas vezes é cobrado um valor muito abaixo do que a companhia deveria receber. Aqui mesmo em Curitiba, todo final do mês tem o chamado “teatro para o povo”, com entrada franca para as pessoas. Isso no Teatro Guairá, um dos maiores e melhores teatros da América Latina. Escrever as peças é o que mais amo fazer, e para tanto, também tive que abdicar de uma vida onde saberia quanto vou ter no final do mês. Não me importo. Viver é desenhar sem borracha, diria o poeta. Se dos cento e cinqüenta alunos daquele colégio que assistiram minha peça hoje, um que seja conseguiu absorver algo, o desastre não terá sido total. Sempre tento me lembrar de uma peça minha que foi encenada ano passado. Quando a platéia estava saindo, ouvi uma senhora, de lágrimas nos olhos, comentar a amiga: “aconteceu à mesma coisa comigo”.Nunca mais a vi, mas sei que deixei uma pequena marca na sua vida. Sim, ainda vale a pena.

Fonte: Claudia Cozzella

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007


Fui recentemente convidada para dar um STOP....estava em uma corrida desenfreada com meu espetáculo Parem o mundo que eu quero descer e mal havia terminado outro A vida após o casamento ,mais a peça no Rio de Janeiro que estarei estreando com grandes nomes em 2008 e os filmes..e os comerciais...e a novela tambem no ano que chega....socorro...Uma fã,uma querida fã,Denise Turek me disse: venha passar uns dias no meu hotel fazenda....o nome é Pousada das Araucarias...Decidi sonhar com esta possibilidade...precisava mesmo descansar um tantinho...E fui...e fiquei fã do local.Lá pude ter contato com a natureza...o local é maravilhoso...muito verde, ar puro de doer no pulmão...a gente até estranha a falta de poluição..Dei comida para os cavalos, andei em trilhas, cantei acompanhada por um violão...Acreditem,até mesmo joguei bilhar...só que usava o taco ao contrário porque era mais fácil acertar a bolinha....kkkk....nem sei para que complicar com aquela pontinha tão fina....Jogamos dominó apostanto chocolate e pipoca...desci uma rampa enorme de sky-bumbum......joguei futebol...acho que era futebol...mas é tão dificil acertar anquela rede,credo...vi até um lagarto imenso que chamei de dinossauro tamanho o susto que levei...rsr...E o café colonial...o que era aquilo? todas as manhãs era um sonho..tudo feito pelas mãos de fada de Olga,uma senhora que vive na região de Santa Catarina.Geléia caseira que parecia a própria fruta, pães de sonhos, frutas misturadas que se transformaram em nectár...Uma vez eu li na revista Caras que Regina Duarte,a mega atriz, escolhera um refugio em um local parecido...e que hoje era muito visitado pelos artistas...não me recordo mais o nome do local mas me lembro que pensei..isso é só pros Tops...será que algum dia terei algo semelhante?E tive...Fui tratada como uma estrela de primeira grandeza...o reporter Guilherme Nossol fez uma entrevista comigo e ele foi maravilhoso..inteligente,direto e me deixou super a vontade para falar dos meus projetos para 2008 que são infinitos..desde a novela que fui convidada até o festival de teatro, de esquetes(que minha CIA Tok de Arte estará abrindo em Curitiba dia 13 de dezembro as 20hs no Teatro Celereiro) até os filmes que estou lendo os roteiros.E hoje estou aqui para falar de uma pousada? mas não fui convidada para falar sobre arte? E eu te respondo: Quer maior obra do que a de Deus? que a natureza que ele esculpiu?Demagogo? fora de moda?Não creio...Hoje eleito meu refugio a Pousada das Araucárias é um lugar que merece ser visitado e amado..O site deles é http://www.pousadadasaraucárias.com.br/O que voce tem a perder? nada e a ganhar muito.Como disse quando fui convidada para fazer parte do café & revista vou divulgar o que acho bom....trabalhos,amigos,eventos,cultura em geral e lazer...porque todos precisamos de um STOP antes que o stress do dia-a-dia nos force a parar...Vamos relaxar,galera!!Bom final de semana a todos.

Claudia Cozzella07/12/2007

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

MIlton Neves..gente de valor!


TANGO MULHER

UM MUSICAL CONTEMPORÂNEO SOBRE PAIXÃO, PODER, POLÍTICA, SEXO E TRAIÇÃO NO BRASIL DOS ANOS 20 e 30.

Com texto inédito de Milton Neves, Tango Mulher é um musical genuinamente brasileiro que se passa dentro de um famoso Cassino-Cabaré na São Paulo dos anos 20/30. Alternando fatos verídicos e fictícios e fazendo alusão a importantes personalidades da época sob um ponto de vista contemporâneo seis personagens envolvem-se numa trama pautada pela paixão, traição, poder e interesse desencadeando uma série de conflitos que irão determinar o futuro político do País. Enquanto a narrativa principal se desenvolve outras tantas histórias e personagens se encontram em encenações sensuais, dramáticas e cômicas permeadas por muita dança e música com os atores que se revezando em um grande espaço cênico que é toda a área do Teatro. Um jogo de interesses nos bastidores da política nacional. Em cena movimento, ritmo, brilho e música.
A montagem, que conta com elenco de 32 pessoas entre atores, bailarinos e cantores, será apresentada de 19 de setembro a 19 de dezembro de 2007.

Temporada
Setembro a dezembro
Quartas-feiras 21h00.
Café Concerto Uranus
Carvalho de Mendonça, 40 Campos Elísios

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Milton Neves. Direção Musical: Lino Krizz. Produtora Executiva: Dani Cabral. Figurinos e coreografias: Davi Jansen. Tangos: Omar Forte (Tango Baires). Fotografias: Lola. Adereços: Cristina Lima e Vitória Perrici. Cenografia: Luciana Teixeira. Maquiagem: Will Latoya. Consultora e Historiadora: Fernanda Major. Programação Visual: Duetto Comunicação
Iluminação: Rodolfo Ribeiro.
Assessoria de Imprensa: Lu Barbosa.
Participação Especial: Twiggy.

Elenco: Marcelo Pio, Dani Cabral, Kener Garcia, Jane Lago, Cristiano Sales, Lino Krizz Milton Neves, Fernanda Labatti, Davi Jansen, Gibalin Gilberto, Karen Rossini, Bruno Rizzo, Alessandra Rocha, Danillo Lemes, Anne Caroline, Gil Brasil, Grazielle Lima Franklin Bressane, Ivete Souza, Helvio Araújo, Jéssica Ferrari, Roberto Lacava , Cáttia Bercano, Beto Gonsalo, Raissa Camargo, Tiago Giles, Anderson Fonseca, Clara Martins, Nanah Souza, Cleber Assofra, Li Costa e Pablo Zorzetto.

Que o sucesso seja constante na carreira desta gente de valor!!

Fonte: Milton Neves

Claudia Cozzella
06/12/2007

Conservatório Teatral no RJ


Não quero formar atores,quero formar pessoas" O 1º CONSERVATÓRIO TEATRAL do RJ, administrado pelo produtor teatral João Luiz Azevedo que em 16 Anos de carreira, produziu e promoveu mais de 50 Peças Teatrais no Rio de Janeiro e por todo o Brasil e deu oportunidade a mais de 300 jovens atores iniciarem sua carreira artística... Percebendo que nos últimos anos muitos atores têm se profissionalizado sem muitas informações teóricas sobre o TEATRO é que criamos este 1º CONSERVATÓRIO TEATRAL do RJ com o objetivo de informar aos jovens atores noções que acreditamos serem fundamentais para o seu dia a dia... Como pode alguém que se intitula Ator desconhecer a obra de autores essenciais como Shakespeare, Molière, Nelson Rodrigues, Arthur Azevedo e/ ou Maria Clara Machado? Como pode um ator pisar num palco sem antes conhecer o que é Coxia, Bambulina, contra regra ou qualquer outro termo técnico? Como fica um ator que não reconhece a importância de grandes diretores teatrais como Antunes Filho, Augusto Boal, Aderbal Freire Filho, Antonio Abujamra, José Celso Martinez Correa, Amir Haddad, Gabriel Vilella, Bia Lessa, Ziembinsky e tantos outros? Como pode um ator nunca ter ouvido falar no Grupo Galpão, no Tá na Rua, no Tapa, no Grupo Armazém, na Cia dos Atores, no Tablado, no Atores de Laura e os mais antigos; Teatro dos Sete (e depois o Teatro dos Quatro), Teatro Opinião, ou Teatro de Arena? É por essas e outras questões que a intenção principal deste 1º CONSERVATÓRIO TEATRAL do RJ ,segundo João Luiz,é a troca de informações e conhecimentos e pretendem como objetivo informar ao ator/aluno tudo que estará ao seu redor, durante estes 12 meses de estudos e ensaios... Os alunos ficarão antenados com o que de melhor estiver acontecendo nos palcos cariocas e do Brasil através de apostilas, indicações de sites, comunidades no orkut, livros, filmes e peças teatrais. Além de todas essas informações acima citadas e das Aulas de Interpretação, Improvisação, História do Teatro, Teoria do Teatro, Expressão Corporal, Técnica Vocal... temos a certeza de estarmos contribuindo para a melhoria no nível de conhecimento dos futuros ATORES... e lembrando Konstantin Stanislávski “ NÃO QUERO FORMAR ATORES, QUERO FORMAR PESSOAS...” diz o produtor. Eu,por minha parte, só posso desejar a voce,João Luiz e a todos sucesso e lembrando que a transparência, a ética e o comprometimento aliadas a um bom estudo faz um ator integro dentro e fora do palco.

Claudia Cozzella 06/12/2007

Gente do bem...que faz bem!!


O que dizer de grandes estrelas que não voam tão alto e ficam acessiveis ao nosso alcance? Tenho a honra de conhecer um astro...não por ser global..mas porque é um dos maiores seres humanos que conheci... Gente humilde,bacana,pés no chão.. Sem perder o foco de quem está a sua frente e de onde pretende chegar está sempre antenado com quem está logo atrás..ou bem atrás,que importa...ele vai te puxar pra cima mesmo...se perceber sua transparencia e seu valor. Hoje estou aqui para divulgar um blog...ele além de tudo ainda escreve ..e bem...como tudo que faz. Não estou aqui puxando o saco de ninguém até porque não preciso fazer isso... Estou aqui para valorizar muitos que conheço e que merecem serem chamados de Ser Humano com letra garrafal em um mundo tão frio e egocentrico que vivemos. Falo de Marcos Wainberg... Confesso que eu nunca havia assistido o Zorra Total...já o conhecia de outros programas e novelas..mas não deste programa. Na verdade ele me conheceu primeiro indo assistir minha peça A vida após o casamento ...estavamos em cartaz na mesma época...eu o convidei sem acreditar muito em sua presença..mas ele foi...e marcou sua chegada na nossa história... Mais um pouco adiante eu o convidei para fazer uma participação em outro trabalho meu Parem o mundo que eu quero descer....também não muito certa do seu aceite mas já confiante porque conhecia uma ponta do que iria mostrar depois sobre sua personalidade. Ele topou e ai selamos definitivamente uma grande amizade. Voce quer conhecer um pouco deste cara?


Leia, medite,pense,opine,comente e divulgue!! Vamos valorizar quem merece ser valorizado... Claudia Cozzella 05/12/2007

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

"A Alma Insana"


Espetáculo aclamado pelo público e crítica retorna a Curitiba
Depois da temporada de sucesso no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais ‘A Alma Imoral’, com Clarice Niskier, faz curta temporada em Curitiba. As apresentações acontecem de 07 a 09; e 14 a 16 de dezembro, no Teatro da Caixa
– Curitiba recebe o espetáculo ‘A Alma Imoral’, montagem com Clarice Niskier – vencedora do Prêmio Shell 2007 de melhor atriz. A peça, que esteve na cidade no Festival de Teatro de Curitiba com excelente aceitação do público, é uma adaptação para o teatro, feita pela própria atriz, do livro homônimo do rabino Nilton Bonder, que aborda os conceitos de tradição e traição. Assistida por mais de 80 mil pessoas, ‘A Alma Imoral’ terá apresentações nos dias 07, 08 e 09; e 14, 15 e 16 de dezembro (de sexta a domingo), no Teatro da Caixa. sextas e sábados as 21:00 domingo as 19:00

informações:3279-2787
3338-7253
produção local:Cleo Fagundes (Cia Girolê/Imaginário)
Marcilene Moraes (Cia Imaginário)
saiba mais sobre a peça acessando:
http://www.almaimoral.com/


Claudia Cozzella - 05/12/2007

domingo, 2 de dezembro de 2007

Caderno G, Gazeta do Povo...jornalista Luiz Alvarez





















Em fevereiro de 2008 em Maringá,Presidente Prudente,Minas Gerais e Vale da Paraíba ..Novo elenco..novo enredo...mas muita confusão em



A vida após o casamento







CADERNO G | TEATRO 11/06/2007 - 11h38

Reviravoltas matrimoniais são abordadas no palco



Teófilo e Maria José são um jovem casal que vê sua relação ser tomada pela rotina. Ela perdeu o romantismo inicial e ele está enjoado de seu dia-a-dia. O lado cômico do cotidiano e as peculiaridades dos relacionamentos são retratados em "A Vida após o Casamento", que estreou no último sábado (9), no Teatro Barracão EnCena e fica em cartaz até dia 15 de julho.

A peça é a primeira montagem da companhia sob o nome de Tok de Arte, apesar dos atores já terem trabalhado juntos em outros espetáculos. “A idéia é trazer novos trabalhos para a cena local”, explica Claudia Cozzela, atriz e produtora da peça.

Claudia interpreta Angélica, uma amiga de Maria José que chega do interior para bagunçar a vida do casal. Com seu ar ingênuo, provoca reviravoltas nos relacionamentos dos outros membros da casa, especialmente em Teófilo.
A peça foi escrita pelo jovem dramaturgo Diego Gianni de 24 anos que já acumula no currículo algo em torno de 50 peças montadas. “Nós queríamos uma peça que retratasse situações do cotidiano de forma leve e engraçada, com as quais os espectadores se identificassem. Assim nasceu 'A Vida após o Casamento”, explica Cláudia

Entrevista para Santa Catarina com o reporter Guilherme Nossol



A








A nova da Record

A mil com as comédias “A vida após o Casamento” e “Parem o mundo que eu quero descer”, que saiu de cena no último dia 11, a atriz Cláudia Cozzella, de Curitiba, conseguiu sossegar no feriadão. A convite da amiga Denise Tureck, Cláudia passou o último final de semana na Pousada das Araucárias, em Rio Negrinho, onde descansou a mente enquanto arquiteta seus projetos para 2008. A artista está escalada para o elenco de “Entre pousos e decolagens”, nova novela da Record, que tem estréia prevista para maio/junho do ano que vem. Cláudia viverá a aeromoça Geni, a mais malvada e espalhafatosa de um grupo de cinco ou seis comissárias. “Era tudo que eu queria!”, diverte-se ela, que também acaba de ser chamada para uma participação no anárquico Pânico na TV, na RedeTV!

Nascida em São Paulo e residindo há 20 anos em Curitiba, Cláudia começou no teatro aos 13 anos. Fez comerciais e desfiles, cursou Jornalismo, Música e Direito, até sacar que seu lugar era mesmo no palco. Criou a Companhia Tok de Arte, composta por seis atores, e passa 24 horas por dia pensando em atuar. “Arte pra mim é vida. Acho que teatro não é brincadeira!”, diz a morena, que teve uma motivação a mais ao criar a Tok de Arte: dar oportunidade a quem precisa. “Tem muito ator bom por aí parado”, coloca. Além dela, hoje “curitibana de coração”, já saíram da capital paranaense nomes como Luiz Mello, Letícia Sabatella, Herson Capri e a queridinha da Globo Marjorie Estiano. E Cláudia acha que é só o começo.

Os mil projetos de Cláudia

Com a peça “A Vida após o casamento”, Cláudia e sua trupe conseguiram a façanha de atrair 2.500 pessoas em 16 dias de apresentação, entre junho e julho desse ano, no teatro Barracão em Cena. Um recorde para Curitiba. A atriz orgulha-se por ter trazido um público que não vai ao teatro, e tudo graças à divulgação em massa. Lotou a casa até mesmo no domingo em que teve jogo entre Brasil e Argentina. Os quatro atores irão agora levar a peça a Maringá, São Paulo e Porto Alegre. O próximo passo – e disso Cozzella não abre mão – será apresentar “A Vida...” em Rio Negrinho, num futuro próximo. A peça também estará em cartaz durante o Festival de Teatro de Curitiba, de 20 a 30 de março do ano que vem.

Cláudia ainda está escalada para o elenco da peça “Um ateu zoneando o paraíso”,de Carlos Corde, ao lado de Osmar Prado, Alexandro Palermo, Nelson Freitas e Mariana Stein. O trabalho estréia ano que vem, no Rio de Janeiro, cidade para onde Cláudia muda-se em breve. O autor e diretor da Tok de Arte, Diego Gianni, já está de malas prontas para lá.

Já tendo feito trabalhos para TV Cultural, canal Futura e rodado vários filmes, entre eles o curta “Alma Lavada”, com Regina Vogue, no qual ganhou prêmio de melhor atriz em 2005, Cláudia faz a linha popular. No final das apresentações, sua diversão é ir para o meio da platéia, distribuir sorrisos, autógrafos e posar para fotos. Perdeu a conta de quantos presentes já ganhou. “Artista sem aplauso, sem público, não é nada”, defende.

GUILHERME NOSSOL/JP

Entrevista para jornalista Flavia Prazeres....Curitiba Dia e Noite..


ENTREVISTA

Conte para gente quando teve início sua carreira como atriz? E a sua parceria com o diretor Diego Gianni?

Minha carreira começou quando eu tinha 13 anos em São Paulo...fiz comerciais e alguns desfiles por lá...mas pra valer mesmo foi em Curitiba em 2003 quando decidi viver de arte..trabalhava em uma empresa mas começou a ficar dificil aceitar os convites para trabalhos...foi uma decisão meia complicada..largar a estabilidade e começar a viver só como atriz..mas hoje sei que foi a escolha correta...quanto ao Diego Gianni é um jovem com muito talento(além de ser meu filho,claro)...tem apenas 25 anos e mais de 50 montagens..até livro ele já lançou....fazer uma parceria com ele é um grande previlegio..Já havia atuado em vários trabalhos escritos por ele e quando decidi montar minha CIA fiz o convite para que fosse meu escritor fixo e ele topou....e tem sido bastante bom o resultado de nossa parceria.

Para você qual é o papel do teatro na atual sociedade? E como você se sente atuando neste espetáculo?

O teatro assim como qualquer tipo de profissão que desempenha formadores de opinião é serisssimo e deve ser levado com muito comprometimento.O publico tende a imitar o ator..a arte imita a vida...portanto eu vejo isso como uma missão....amo o que faço e cuido muito do que transmito.

Este espetáculo tem sido gratificante porque mostra uma realidade do ser humano que é reclamar de tudo....ninguém nunca esta feliz com nada não é mesmo? Temos tido uma receptividade imensa....o publico ri muito e se emociona no final...eu me sinto bem fazendo a Poliana que ve a vida cor de rosa...nunca está triste porque engana a si propria...exatamente o oposto de mim..sou muito cruel comigo mesma....

Quais trabalhos a sua Companhia de Teatro Tok de Arte teve participação efetiva? Quais foram os primeiros obstáculos enfrentados por você para colocar em funcionamento a companhia teatral?

Fizemos no ano passado a esquete “Um,dois,tres e jaz” que ficou em primeiro lugar no Festival de esquetes do Paraná...depois montamos “A vida após o casamento” que foi um recorde de publico..mais de 2500 pessoas nos viram em Curitiba...Agora estamos com “Parem o mundo que eu quero descer” e já fechamos com empresas como a Pepsico e tambem viajaremos em fevereiro com nossas montagens.

Como você vê o cenário teatral em Curitiba? Quais seriam seus conselhos para pessoas que queiram seguir a carreira?

Curitiba é maravilhosa quando reconhece nosso trabalho...vi e participei de cias que a gente ralava bastante e o publico as vezes eram de 5,6 pessoas......Quando montei a Tok de Arte me surpreendi..temos tido muito publico e um pessoal tão bacana que tem nos apoiado,divulgado...as radios,algumas emissoras,jornais,sites..enfim..muita gente se uniu e nos deu e tem dado apoio...isso é maravilhoso.

Quanto a dar conselhos para quem quer começar penso que se voce quizer fazer um trabalho bom seja bom...com isso quero dizer: se comprometa,estude,seja humilde, aprenda e aprenda ainda mais...dedique-se...nosso meio é muito frágil...hoje vc está no topo...amanhã pode estar embaixo...não pise em ninguém,seja coerente com seus ideais...una-se a pessoas que tenham o mesmo objetivo que voce...não perca seu tempo com fofocas,egocentrismos...seja reto nas suas atitudes...

Qual é para você o melhor resultado alcançado depois da apresentação da peça?

O melhor resultado para mim é o elo que eu formo com meu publico...viram amigos...cada vez que encerro uma apresentação faço questão de ir lá na porta falar com todos...abraço,beijo,tiro foto,dou autografo e crio vinculos.Os aplausos para mim após o encerramento é só uma consequencia de uma transparencia...sou o que sou...e meu publico sabe disso.

Você deve participar de uma novela na Record, como você vê este novo desafio? Para você qual é a principal diferença entre atuar nos palcos e na televisão?

Atuar em frente as cameras é para mim uma sensação maravilhosa...me sinto totalmente à vontade quando tenho que gravar...

A diferença entre atuar nos palcos e na TV é que no teatro voce tem que ter muito jogo de cintura...não tem “Corta”...voce tem que estar super atento as suas falas e dos colegas de elenco...tem que ter improvisação sempre em mente...as vezes vc pode não estar totalmente centrado e esquecer algo...e tem que ter quem esteja esperto sempre...Já na TV vc pode consertar..uma vez ouvi que todo ator de teatro pode fazer TV..mas nem todo ator de TV pode fazer teatro...

O que você acredita que o teatro necessita para continuar existindo no nosso País? Quais são as principais dificuldades encontradas para as pessoas que fazem teatro no Brasil?

Penso que a maior dificuldade seja o dinheiro mas não apenas isso...falta muita qualidade de roteiros e de atores...hoje em dia todo mundo quer ser ator...acham fácil e cheio de brilho..o que é irreal..pode até ser assim para os grandes astros mas para a maioria é luta diaria de sobrevivencia...Viver de arte no Brasil é uma arte.

Eu,nem sei como ,consegui patrocinio de mais de 20 empresas em A vida após o casamento e em Parem o mundo igualmente....isso me deixou muito feliz pois sei das dificuldades de conseguir apoiadores em pequenas CIAs como a minha.E é muito bom quando voce ve as mesmas pessoas retornando varias vezes para nos ver...tem gente que já assistiu Parem o mundo 8 vezes...já ate´decoraram o meu monologo...kkk.

Qual foi para você um papel inesquecível? Alguma vez você teve dificuldade em deixar o personagem no palco?

Todos os personagens que faço para mim são inesqueciveis...mas tem aqueles que parecem que entram dentro de voce e não largam....uma vez fiz um texto “Onze horas e a cigarra não cantou”..eu era uma louca presa em um cubo...era movida pela paixão...chorei muito no processo da peça...tive que buscar sentimentos esquecidos e traze-los à tona...mas foi muito bom..lavei a alma.

Como você faz para montar o personagem? Há algum rito especial antes de entrar em cena?

Eu quando começo a estudar um personagem entro com tudo...leio sobre, penso como,ando como...gosto de imaginar como eu reagiria diante de situações que dificilmente viverei...como quando fiz uma assassina...sou radicalmente contra a violência e fazer algo tão contra a minha natureza me obrigou a estudar a psique de um matador....o que me levaria a este ato extremo? Por que? Quais seriam as consequencias?a arte nos permite tudo...posso ser quem eu quizer.

Antes de entrar em cena sempre rezo...sempre...peço que me iluminem e me façam transmitir o que vim fazer ali..o palco é sagrado...o publico merece meu respeito e por isso fico quieta,medito...quando ponho os pés no palco nem me lembro de quem eu sou...não há mais espaço para mim ou meus problemas pessoais.

Quais são suas influências no teatro? E quem você considera grandes nomes do meio artístico? E apenas no Paraná quais nomes não podem ser esquecidos?

Eu tenho algumas referencias como Gloria Pires,Malu Mader na TV...no teatro, claro,Fernanda Montenegro e Paulo Autran que disse o seguinte:

“O grande ator não tem ego...o grande ator tem talento...”

No Paraná tem muita gente boa tambem...tenho muitos amigos com talento e que ainda não despontaram..Não cito ninguém porque teria muitos amigos já que tenho varios grandes atores no meu circulo pessoal..

Como é para você fazer comédia? Para você qual gênero dificulta mais na construção do personagem?

Fazer comedia é muito dificil...acho que é o genero que voce tem que estar muito concentrado..primeiro porque o ator não pode rir...o publico é que tem que se divertir..mas as vezes é impossivel controlar...e sou uma vilã nata....adoro fazer papel de má...acho que bate de frente com meu lado pessoal e isso me desafia..e eu adoro desafios..fazer papeis que me exigam...gosto de fazer todos os generos mas sempre tem aquele que te pega mais...

Para você qual palavra poderia ser usada para te definir?

Determinação

Quais são os seus projetos para o futuro?

Tenho varios e espero conseguir realizar alguns...estou já pensando na nossa nova montagem..ontem mesmo tivemos uma reunião com Diego Gianni para ver o texto...

Tambem farei uma peça chamada “Um ateu zoneando o paraiso” no Rio de Janeiro..além da novela Entre pousos e decolagens da Record.Ambas de Carlos Corde.

Tambem fui convidada para gravar um filme chamado O conflito (rodará em janeiro de 2008)...inscrevi duas peças no festival de teatro de Curitiba.Tenho varias viagens agendadas tambem para o Nordeste,Maringá,São Paulo e por ai vamos.Como diz o poeta Milton Nascimento: o artista tem que ir aonde o povo está..

e sem o publico não somos nada..o artista sem aplauso não é ninguém.

Obrigada a todos voces!

Entrevista concedida Emanuel Carvalho


A vida após o casamento em turnê a partir de fevereiro!

Cómedia que retrata o cotidiano de um casamento após cair na rotina. A vida após o casamento é uma comédia bem cotidiana, mostrando a “tranqüila” vida de casados de Teófilo e Maria José.A peça já inicia mostrando a relação deles desgastada. Por qualquer motivo, um provoca o outro. Teófilo está enjoado de sua rotina, enquanto Maria José sente falta do romantismo que existia entre eles no início do casamento. As coisas começam a mudar com a chegada de Angélica, a “angelical” amiga de Maria José. As duas não se vêem há anos e muitas novidades quentes vêm à tona, uma delas deixando Teófilo louco de desejo por Angélica, que é virgem! Uma mulher dessas pode ser real? Numa coisa todos concordam: casamento só com briga é estar no inferno entre quatro paredes.
"Roubando as palavras de Tavinho, o filho “pré-aborrecente” de Teófilo e Maria José: “Qualquer dia eu é que me divorcio deles”..., brinca o diretor Diego Gianni”.
Texto: Diego GianniDireção: Diego Gianni
Elenco : Claudia Cozzella
Retornando no Festival de Teatro em março de 2008


Emanuel Carvalho - E para compor o Elenco de “A vida após o casamento” que estréia próximo mês, você buscou referências no cotidiano para interpretar Angélica.

Claudia Cozzela - A Angélica é uma personagem dissimulada e que vem para detonar uma relação estável... personagem, infelizmente, comum nos dias de hoje....a dificuldade foi criar um sotaque totalmente diferente do meu..mas como adoro mudar está sendo ótimo faze-la.


Emanuel Carvalho - O que você curte fazer quando não esta no teatro?

Claudia Cozzela - Adoro ficar em casa... brincar com meu cachorro, conversar com meu marido e filhos....tenho uma vida muito agitada...por isso aproveito muito meus raros momentos de descanso

Emanuel Carvalho - Como é a sua relação com a TV?

Claudia Cozzela - Já fiz vários trabalhos para a TV. atualmente tenho participado da Revista RPC da Rede Globo que vai ao ar após o Sob Nova direção aos domingos.

Emanuel Carvalho - O que a profissão te proporcionou em termos financeiros até este momento?

Claudia Cozzela - Viver de arte É uma arte... o retorno financeiro é muito pequeno...os artistas tem que requebrar muito para sobreviver. A arte não é muito valorizada no nosso país...o resultado é que tenho que me desdobrar..mas sou feliz fazendo o que faço.

Emanuel Carvalho – Entre a sua C&A de teatro Tok Arte e suas participações em vários trabalhos com atores famosos. Como você faz para agüentar o ritmo?

Claudia Cozzela - A Tok de Arte é uma C&A que nasceu com o intuito de trabalhar novos talentos. Ela foi criada porque eu decidi por a mão na massa... estou inclusive produzindo esse novo espetáculo e para minha surpresa tenho conseguido coisas(patrocínios) que C&As super experientes estão abismadas....rsrs...

Emanuel Carvalho - Você é conhecida por sua beleza e brilhantismo nos palcos e na vida, mas quem é Claudia Cozzela?

Claudia Cozzela - A Clau é uma mulher/menina extremista... sou super exigente no trabalho,chata mesmo...sou segura do que quero e para onde caminho...e pessoalmente sou um ser humano extremamente preocupado com a violência, com o abandono aos animais...meu sonho é ter um sitio e encher de animais abandonados e de velhinhos solitários...acho que seria ótimo para ambos.Os animais são muito fieis.Os velhinhos tem muito amor para dar.E experiência.

Emanuel Carvalho - Em 2006 você participou de um curta que foi finalista do Putz Premiado pela Academia Internacional de Cinema. Qual era o seu personagem e o que dizia para o público?

Claudia Cozzela - Eu fazia uma lavadeira de alto astral... na verdade a vida do trabalhador é barra....é um leão por dia pra poder comer, dormir..e a Rita,minha personagem, só via o lado bom das coisas...também sou assim....sempre procuro ver o lado positivo em qq situação.

Emanuel Carvalho - Qual é a sua ideologia na companhia de Tok Arte?

Claudia Cozzela - Bem, queremos levar momentos de lazer e de cultura ao mesmo tempo ao nosso publico... me incomoda a idéia de que as pessoas vão ao cinema e pagam s vezes mais caro do que por uma peça teatral que dá um trabalho danado para ser montada...mas as vezes a culpa e´dos próprios espetáculos..uma pessoa que nunca foi a uma peça de repente vai e é super chata...ela não volta mais....nossa intenção é sempre levar ao publico uma diversão bacana..que eles saiam de lá pensando: nossa, teatro é demais...e espalhem a noticia.

Emanuel Carvalho - No curta em que você interpreta uma lavadeira grávida. Você se considera uma dona de casa, ou seja, passa roupa e cuida de tudo?

Claudia Cozzela - Eu cuido da minha casa sempre que dá... eu adoro cheiro de casa limpa...mas na correria que vivo as vezes passo semanas sem conseguir cuidar dela...

Emanuel Carvalho - Este ano ainda tem algo previsto?

Claudia Cozzela - Sim... além da estréia da “A vida após o casamento”de Diego Gianni também tenho fechada uma peça chamada “Um ateu zoneando o paraíso” de Carlos Corde no Rio de Janeiro e serei uma das protagonistas no longa “Quarenta” de Josiane Orvatich....além das esquetes que estamos apresentando em bares e casas noturnas...trabalho é sempre bem vindo.

Emanuel Carvalho - Você contracenou com atores como: Paulo Goulart, Dalton Vigh, Paulo Gorgulho, Regina Vogue entre outros grandes nomes da dramaturgia. Também trabalhou com os diretores George Sada, Ricardo Spencer, Fernando Severo, Lya Bueno, Humberto Gomes, Adriana Telles, Cássia Damasceno entre outros.

Claudia Cozzela - Verdade... e é sempre um grande prazer trabalhar com grandes nomes da dramaturgia...sempre temos muito a aprender e eu absorvo tudo com muita atenção....espero poder me assemelhar a cada um deles.Tenho uma grande admiração por todos com quem tive a honra de contracenar.

Emanuel Carvalho - Você teve até agora participações em curtas e em clipes. O que isso soma a sua profissão?

Claudia Cozzela - Na verdade já fiz longas, medias e curtas..o clip mais recentemente com o Spencer foi bem bacana de fazer...acho que diversificar nosso trabalho é importante..até porque a mídia televisiva é bem mais vista do que a teatral....fazer TV e cinema chama o publico.Estamos aguardando agora um convite para irmos aos palcos da TAM Teatro Alberto Maranhão ... Eu particularmente tenho um grande carinho pela cidade de Natal.


Entrevista ao Corujas

sábado, 1 de dezembro de 2007

Matéria em São José de Eliciane Alves



O incrivel Paulo Zanchetta e sua moda projetada!


Tive a honra e o previlegio de conhecer e vestir um
Paulo Zanchetta, um dos maiores estilistas do país.
Abaixo segue nosso bate papo:


Paulo,fale um pouco do seu trabalho...

Olá, Cláudia, obrigado pela oportunidade...Minha especialidade está voltada no momento para as roupas de festa com tecidos nobres e acabamento impecável.

O que vem a ser Moda Projetada?

Roupas personalizadas e projetadas para cada tipo de corpo.

Este projeto é em ação conjunta com a Rede Feminina de Combate ao Câncer...Por que e de quem partiu esta iniciativa?

O desfile foi para arrecadar fundos , organizado pela própria instituição e contou com a participação da incansável Sra. Anice Messmar, de quem partiu a iniciativa de me convidar.

Você, Paulo, foi meu estilista no espetáculo “A vida após o casamento” e o vestido que você me presenteou fez um sucesso muito grande....você já vestiu outros artistas?

Se sim, como é ver sua criação criando vida no palco?

Vesti você, querida, e achei formidável!

Recentemente o desfile de alta costura no renomado Clube Curitibano causou impacto diante da beleza das suas obras ( porque eram obras de arte devido ao bom gosto)...Como foi a repercussão disso na sua carreira?

O desfile me trouxe para fora da casca...sempre havia atuado reservadamente como um artista aprecia...eu e minhas obras, quietamente...eu e minhas clientes. Esta visibilidade atual aconteceu por ação das damas do Uniforme Rosa, da Rede Feminina..

Sugiro que outros profissionais sérios conheçam melhor o trabalho da Rede e possam integrar-se no espírito da verdadeira Solidariedade, pois trabalhar com elas muito me ensinou..


Quais os seus projetos para o futuro?

Fazer com que meu nome se torne cada vez mais uma marca de qualidade e seguir os passos dos grandes Mestres como Valentino , pela excelência dos acabamentos e Calvin Klein pela valorização da beleza natural da mulher.

Quem é Paulo Zanchetta?
Sou uma pessoa simples e prática.

Bate e volta:

Filme preferido:

O Diabo veste Prada.

Estilo musical:

Sou eclético.
Amigos:

Poucos, mas verdadeiros, como os da minha infância.

Amor:

O amor é a base de tudo, o que nos faz ter ânimo e coragem para olhar no espelho e falar conosco mesmo “Eu estou Ridículo”. E aprender a se respeitar, mesmo sendo ridículo. O amor que começa em mim mesmo, para se expandir aos outros, este é o amor que eu pratico.

Preconceito:É necessário estar em estado de gratidão, e conviver com a diversidade faz parte do cotidiano de uma pessoa civilizada. A natureza é diferenciada: respeitar a diversidade é natural.

Familia:

Patrimônio maior do ser humano.

Moda

Simplicidade, sofisticação e atitude.

Obrigada,Paulo..é um grande prazer ser sua cliente e amiga pessoal!

O teatro de ontem..e de hoje!!


Em 1946 Joracy Camargo (1989-1973), jornalista, cronista, professor e teatrólogo, membro da Academia Brasileira de Letras escreveu:

O povo brasileiro nunca foi ao teatro. Nossas casas de espetáculo são, em geral, freqüentadas por uma minoria neutra, sem expressão do ponto de vista da sensibilidade, da cultura, e até mesmo dos nossos costumes.

Temos assim os fracassos completos, que abrange os empresários, os velhos autores e os renovadores. Para os empresários, o teatro é um negócio. Para os velhos autores, o “espelho da vida”. E para os renovadores, cenografia, iluminação funambulesca o guarda-roupa. De tudo isso resultou que, hoje em dia, o espectador médio parece superior aos autores o aos artistas, enquanto o espectador erudito procura iludir-se com as falsas renovações, e o espectador-povo ignora completamente a existência do teatro.

Tantos anos se passaram...o que mudou de lá pra cá?

O publico de teatro continua sendo um minoria...

Quem é o publico? Familiares,amigos (que “as vezes” vão apenas por obrigação) e um pouco da classe artística para prestigiar porque sabe o quanto é difícil se levantar um espetáculo.

Por que será?

O custo dos ingressos? Falta de cultura? A massificação da Televisão? O comodismo?A preguiça? Falta de divulgação?Um conjunto de tudo?

Mas o povo vai aos campos de futebol com ingressos algumas vezes mais caros que o teatro...

O espetáculo que se realiza nos campos de futebol é sempre o mesmo, mas exerce cada dia maior influência sobre as pessoas..o que justifica isso?

Que importa que a “peça” seja sempre a mesma, se o espetáculo é sempre diferente?As emoções são diferentes...os atores mudam a cada dia a construção do seu personagem..

Mas há uma diferença: o público do futebol sabe que nunca será iludido, como se faz com o do teatro...será que é isso que as pessoas querem nos dias de hoje? Não ter ilusões,emoções?

O ser humano está cada dia mais inquieto..mas tem gente quente...gente atenta....gente que respira e vive cultura.

É essas pessoas que temos que cuidar...e nessas pessoas que temos que temos que nos inspirar..

O ator sem o publico nada é.

O escritor de teatro sem o ator nada é.

O mundo sem a arte, a ilusão... é alguma coisa??

O ator já nasce feito??


Eu não sei dizer...mas tenho a sensação de que sim...

O ator é diferente desde que nasce...ou melhor estréia.

Quando eu nasci meu pai disse : Nasceu uma princesa...rsrs...ledo engano...nascia uma atriz...

E assim eu fui criando cenas....cenas na vida, cenas em casa,cenas nas ruas.

As pessoas me achavam diferente....eu também me achava estranha..eu tinha necessidade de chamar a atenção,digamos assim....

Mas eu não sabia bem como porque não tinha essa noção.

Ficava na frente do espelho cantando, representando...mas ninguém me dava importância.Achavam que era passageiro.

O sonho de minha família era que eu fosse advogada...o meu era bem diferente.

Cresci, estudei direito,jornalismo,musica , tive filhos, plantei arvores, escrevi um livro...e mandei tudo pro inferno e fui ser atriz....

Sem remorso deixei anos de estudo pra trás e corri de encontro ao meu sonho.

A primeira vez que subi em um palco foi maravilhoso....quando ouvi os aplausos do publico pela primeira vez não entendi como foi que demorei tanto para estar ali...o caminho estava traçado desde meu primeiro minuto de vida...

Hoje já com um certo nome no meio artístico me sinto feliz..feliz em poder brilhar ao lado dos meus amigos, feliz em compartilhar o que aprendo, feliz em aprender com quem tem experiência.

O aprendizado do ator não tem fim...qualquer emoção fica registrada para no momento oportuno vir a tona.

As pessoas não valorizam a arte...só se você estiver na novela...dai sim você é artista...

Agora pessoas que lutam pela arte,ou melhor, que tentam sobreviver da arte....essas,como eu, se batem o tempo todo em busca de..de que mesmo? De oportunidades de trabalhos cada vez melhores...e depois de muita ralação ainda te perguntam: “o que você faz?” “Eu sou atriz”....tá,mas o que você faz pra viver??

Ms tem muita gente boa neste meio...gente com G maiúsculo...que ajuda, que pega pela mão....eu conheço vários como por exemplo Paulo Goulart, Nicete Bruno e outros deste site como Carlos Corde, Marcos Wainberg, Paulo Ascensão,Diego Gianni, Emanuel e minha querida assessora de imprensa Eliciane. ...pessoas cheias de generosidade e de grande amor a arte em geral.

Nasceram feitos?

Isso eu ainda não posso afirmar...mas que brilha uma luz diferente de um ator isso posso sim..e se você reparar bem...cada vez que nasce um ator some uma estrela do céu...será???

A quem começa a sonhar...a quem está cansado de tentar..


A quem começa a sonhar...a quem está cansado de tentar...
11/08/2007
A quem começa a sonhar...a quem está cansado de tentar... De onde eles vem?Bom, fazemos o projeto e quando não pedimos apoio pela lei tudo se complica.Daí o que fazemos? Corremos,corremos e corremos...pra onde? Ninguém sabe...Como vivem as pequenas C&As de teatro? Como pagam a pauta?Os cachês? Como vivem?Vivem de esperança e de amor a arte...Eu tenho um C&A chamada Tok de Arte...quando ela foi criada não tinha a menor idéia de como levantar verba...Juntei um grupo de amigos sonhadores como eu.... amantes das artes cênicas...Dinheiro? Nenhum...Sonhos? Milhares...Loquei um teatro na cara e na coragem...Cachê? Dependia do Publico.Garantia de publico? Zero.Patrocínio? Vixe mariaaaa!!!Quase pirei pensando em como fazer...Comecei a procurar rádios para divulgação....apareceram cinco emissoras de radio.Pedi apoio as gráficas para cartazes, banners e filipetas...surgiram duas.Tentei divulgação na mídia televisiva....ganhei espaço fixo semanal em um programa..Continuei...teve um domingo que cheguei a mandar mais de 500 e-mails pedindo ajuda...nem dormi direito pensando em saídas para honrar o que havia prometido ao meu grupo.Pedi ao escritor Diego Gianni (também colunista deste site) que me ajudasse me escrevendo um roteiro...Meu amigo Rodrigo Rocha(ator do elenco) fez a arte do material gráfico e o clipe(ta lá no youtube: “A vida após o casamento”)Os pais do Thalles ( o meu ator mirim) ajudaram um monte vendendo os ingressos de porta em porta...E eu? Eu ia indo...me surpreendendo com o que foi surgindo...No dia da estréia o nervoso: viria alguém?Veio...lotou....até meu querido amigo Marcos Wainberg (Zorra total) veio...e jantou comigo junto com o Roberto Frota (Rede globo também)...meu elenco e o dele...fui assistir a peça deles “Diálogo dos pênis”...e ouvi meu nome no off...e ainda recomendou minha peça no final...seria um sonho...????No ultimo final de semana a presença de quem na platéia? Carlos Corde..meu diretor de “Um ateu zoneando o paraíso” que veio do Rio só pra me ver???O que quero dizer com tudo isso??Que sonhar é muito bom...e indispensável pra viver....quem sonha luta,corre atrás...não deixa a realidade se sobrepor as vezes nos minando..O ator vive de ilusão..o artista é a própria ilusão...Vai ai um recado aos iniciantes na carreira:Não desista de querer...mas queira e realize....estude, leia muito, se informe e tenha disponibilidade para aprender sempre.Gravei recentemente com o grande Paulo Goulart...dele ouvi a seguinte mensagem:“Atuo em um comercial, em uma peça ou em uma novela com a mesma dignidade e profissionalismo..não importa o tamanho do meu papel...à noite durmo com a certeza de ter feito o meu trabalho bem feito”..Também penso assim: Quando me deito gosto de ter certeza de que dei o meu melhor...não importa o tamanho do meu desafio.E o ego? Cuidado com ele..muito cuidado....o sucesso é passageiro...quando me perguntaram em um programa de Tv como eu fazia para lidar com a “tietagem”...respondi: eu lavo louça e tiro o lixo..isso me deixa com os pés bem no lugarzinho certo: no chão.

Claudia Cozzella

A vida apos o casamento


Ficamos em cartaz em junho e julho de 2007 com o espetáculo "A vida após o casamento"...tivemos um publico de 2500 pessoas em 16 apresentações.
Estaremos de volta no Festival de Curitiba em março.
Texto e direção: Diego Gianni
Iluminação : Ronaldo Silva
Elenco original permanecendo apenas Claudia Cozzella

Aguardamos voces!
Foto:Diretor RJ Carlos Corde,Claudia Cozzella e autor e diretor Diego Gianni

Parem o mundo que eu quero descer


Ficamos em cartaz com a peça Parem o mundo que eu quero descer de 06 de outubro a 11 de novembro no Teatro Barracão EnCena em Curitiba.Tivemos a participação especial de Marcos Wainberg do Zorra Total.
Em março estaremos de volta no festival de teatro de Curitiba porém com um novo elenco permanendo apenas no elenco original Claudia Cozzella e Florival Gomes.
Aguardamos voces!!